Blog

Notícias e Publicações

Festival Origens contará com a parceria da Latitude 13 ° Cafés Especiais

Festival Origens contará com a parceria da Latitude 13 ° Cafés Especiais

A empresa trabalha com o cultivo, torrefação e comercialização de cafés gourmet orgânicos e convencionais

Gabriela Nascimento

Os participantes do 1º Festival Origens que são apreciadores de café, terão a oportunidade de degustar os cafés gourmet da Latitude 13°. A marca baiana reconhecida como produto de origem é parceira do evento e oferecerá, na programação, o “Workshop: harmonização de cafés com charuto”. A harmonização acontecerá em 1º de dezembro, na Fábrica DANNEMANN, em Cachoeira. A marca é a união entre a Fazenda Aranquã, administrada por Luca Allegro, e a Fazenda Progresso, dirigida por Fabiano Borré.

O empresário Luca Allegro conta que já participou de outros festivais e comemora a iniciativa de unir os 4 C da Bahia no evento. “O Festival Origens é uma oportunidade de apresentar as riquezas que a Bahia tem. Vejo uma sinergia entre esses produtos, tanto na forma do consumo que é relacionado à degustação, quanto na tradição produtiva em suas respectivas regiões”, salienta.

Luca afirma que há diferentes métodos de preparar um café e cada um deles proporcionará à bebida texturas e sabores distintos. “Utilizamos sete maneiras para processar o café, algumas deixam a bebida mais adocicada e outras podem tornar o café mais encorpado. Isso é extremamente importante na harmonização com o charuto. Cada terço do charuto, ou seja, cada parte dele, pode combinar com uma variedade de café”, ressalta.  


A história da marca

Com a localização geográfica privilegiada, o café Latitude 13° recebeu esse nome por ser justamente a posição em que estão situadas as fazendas produtoras, no alto da Chapada Diamantina, na Bahia. A produção está situada no município de Mucugê e Luca explica que local possui um micro clima favorável ao cultivo do café especial. “A espécie botânica que usamos é a 100% arábica, que possui qualidade superior. Outro diferencial das demais marcas é que colhemos apenas os grãos maduros, em vez de misturá-los com os verdes e mais passados. Tudo isso apresenta um resultado excelente na xícara”, esclarece.

Junto com sua esposa Juli Nunes, Luca comanda a empresa desde 2000 e trabalhava exclusivamente com exportação de café para Estados Unidos, Europa e Ásia. Entre 2003 e 2009, o produto foi selecionado pelo Vaticano para ser fornecido à cúria diocesana da Igreja Católica. Só em 2014 a Latitude 13° entrou no mercado interno, com a proposta de oferecer um café de origem e de alta qualidade para os consumidores brasileiros.


Foto: Luca Allegro.